Follow by Email

Total de visualizações de página

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

TESTE RÁDICAL



 

Numa rua da cidade, tem um pequeno grupo esperando para um teste de skate. Um assistente de diretor ajeita a câmera.

Chega o diretor, que é um colecionador de carros, antigos. Estaciona o carro. Um fusquinha rosa, que brilha de tão novo. Sai do carro, aperta um botão e os vidros fecham, ele pega uma flanela Limpa toda poeirinha do carro e vai todo sorridente ao encontro do grupo.



Diretor- Bom dia gente! (cheio de trejeito, desmunhecando)

Grupo - Bom dia.

Diretor - Bom, esse vai ser um teste rápido, vai ser tudo filmadinho né...as manobras de vocês...aquele que for escolhido nós vamos dá uma olhadinha no material, com carinho e agente entra em contato. Boa sorte pra todos tá queridos.

Faz uma fila, da direita pra esquerda. Ok boys? good very good.

só vieram cinco...ok? O primeiro, faça sua apresentação amor.

O primeiro se posiciona.

Diretor - Go!!!!!!!!!!!!!!! good very good o segundo ok!?

O segundo se prepara.

Diretor - go!!!!!!!!!!! ok mam beauty. Hoje acho que é o meu dia, eu quero que os outros três se apresentem ao mesmo tempo, quero ver como vai fica, ok boys?

Os outros três garotos se posiciona.

Diretor – Ok vamos lá meninos! Wow! beautiful beatiful beatiful boys good very good (todo saltitante e batendo palmas) pronto amores, num falei que ia ser rapidinho. Vocês foram todos umas gracinhas... (Toma um susto com outro candidato que vai chegando de supetão) Wow. That´s a rip off. ( Derrepente um negão, todo sujo, calça rasgada, tênis sujo e deteriorado e com um português impecavel ).

Negão – Pô brô vai me desculpando ai sabe; sabe que é velho? É que hoje, o bicho pegou meu brodi. Eu fiquei amarrado numa parada. Aí tio! dexa eu expricar tudo mané. É que o bicho pegou na parada sabe?

Diretor – Não eu não sei mané

Negão – Pô brô! Me da essa óportu garanto que tu não vai se arrepender bicho, é só marcar um dez aí, é pá e bola valeu mermão?

Diretor – E o quer que pegou lá na comunidade? ( com sarcasmo).

Negão – Sabe que é cumpade! e que os alemão, os chimpas do omi, era macaco pá todo lado o bicho pegou, foi maó caôr. Quando uzome sobe, paga geral, só sobe o caverrão, só desce corpos dos irmão trabalhador. morou brô? O material lá, é profiça e o bisoro voa pra cima.

Então, num peida não velho, quebra essa.

Diretor - Ta bom...vai lá, eu quebro essa. tá pronto?

Negão – Já é...é nois maluco, sabia que tu não ia vacilar sangue bom. uh! Valeu.aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa (joga o skate no chão faz umas manobra radicais que todo mundo se levanta) e aí maluco mandei bem pá caraca

Diretor – Todo mundo foi melhor que isso maluco ( com deboche) vou lhe dá mais uma chances ver se faz alguma coisa diferente dessa vez.

Negão – valeu profiça vou arrebentar a boca da parada dessa vez. (pega velocidade da um 360 da uma cambalhota pula numa grade de proteção faz umas manobras do cacete que a galera toda pula e vibra o diretor olha pro assistente de direção que também ta vibrando e ele se contem)

Diretor – Olha aqui rapaz se quer me impressionar precisa ser algo radical ou não participa da seleção sacou?

Negão – saquei brô! Mandou bem, vou mandar algo radica dessa vez é nóis mermão. (se afasta um pouco pega velocidade da um 360 cai em cima do alambrado sai deslizando da uma cambalhota caindo em cima do teto do fusca da mais três giros de 360 graus e sai pela frente do fusca ralando o fusca todo e faz uma reverência pra galera com um grito de guerra)

Diretor – (Em estado de choque olhando pro assistente) is not my car!?

Assistente – yes (comemorando gritando) wow! is your car.

(o diretor cai duro).







http://mpparnaiba.blogspot.com/

DIA DE CÃO




 




A campainha toca: Surge uma madame, toda perua e abre a porta.

- Querida! Que bom que você veio! Eu estava mesmo lhe esperando. (beijinhos)

- O Juizado de Menores, me pediu para que eu viesse aqui fazer um relatório do ambiente que vai acolher o bebê, a ser adotado. (Toda de sapato social, saia, blazer, óculos de grau, olhando na casa por cima do óculos e fazendo perguntas).

- Moram quantas pessoas na casa?

- São três, eu meu marido e meu bebê.

- Bom! Então a senhora já tem um bebê?

- Não é mais um bebê! Já é quase um homem feito, quero adotar um irmãozinho pra brincar com ele. O totó ultimamente tem se sentido muito carente.

- Tem bicho de estimação?

- Não?

- Eu poderia conversar com seu filho?

- Claro...vou chamar o meu bebê! Totó! Vem car...totó. Tem uma moça bonita querendo lhe falar.



(Entra o cachorro, pudo (poodle) correndo e latindo, a perua abraça o cachorro e beija na boca uma dezena de bitoca, a assistente social ficar pasma).



- É do seu filho?

- É o meu filho!

- Esse é o seu filho?

- É...não é uma gracinha? (Da outro beijo na boca do cachorro) vai cumprimentar a tia totó, Ela gostou muito de você. ( O cachorro vai, se agarra na perna da moça e fica dando embigada, na velocidade cinco do creu...ela fica atordoada com a cena. Para tentar se livrar do animal, ela pede para que a perua busque água que ela estar com sede.

- Claro querida cuida do meu bebê que eu já volto. (e sai)

A assistente social começa a balançar a perna pra ver se o animal solta e nada, o bicho ta na velocidade da luz; ela fura-o com um lápis ele, começa a rosnar, Ela se apavora, agarra o bicho e o joga longe. Ola pra perna ta todo melecada; Ela procura com quer limpa, não encontra faz uma cara de nojo e esfrega a perna num sofá, começa a fazer anotações, se descuida um pouco, o totó se gruda na perna dela de novo querendo terminar o serviço ainda mas rápido, ela se assusta e tenta desgrudar o cão da perna, até que em fim Ela consegue e não ver que a madame, já estar na sala de volta; acerta-lhe uma bicuda com o sapato de bico fino que o cachorro vai cair com uns dois metros. a madame se desespera corre e pega o cachorro nos braço aos berros.

- Meu...bem..meu... bem! Corre que Ela matou meu bebê.

(O marido chega meio que assustado sem entender nada, a moça sai voada, Ela joga o cachorro nos braços do marido.

- Corre seu desgraçado imprestável ( aos berros) e sai atrás da moça. (O marido aproveita a oportunidade, que, ficou sozinho com o cão; ola pro lado pro outro o cachorro já estar recomposto ele ola pra ele, põe no chão, pisa no pescoço do bicho, pegar nas duas pernas e estica até ele morrer; sai desesperado atrás da mulher também). (A mulher aos berros, pergunta ao porteiro)

Para onde ela foi? Ele aponta a moça correndo desesperada, quando vira na esquina centenas de repórteres clic...! clic..!cllic...! volta desesperada, da de cara com o bop, volta correndo sai na praia...correria de carro de bombeiro, helicópteros de todas as redes de televisão estão em seu encalço. É seguida por uma multidão gritando palavra de ordem, dar de cara com dezenas de tanques do exercito que vem em sua direção em fim, se rende. O juiz bate o martelo, o povo bate palma, centenas de donos de animais, de estimação os mais bizarros possíveis, comemoram. Ela é jogada na cela como um animal. De repente Ela começa a ser eletrocutada da um grito de desespero e acorda assustada. Era um filhote de gato brincando de morder seu pé. Ela olha da janela de seu quarto e ver que o dia esta lindo, a praia parece estar lhe convidando para um mergulho, fecha os olhos deixa o cheiro da maresia entra nos seus pulmões e diz: Vou viver esse dia como se fosse o ultimo dia de minha vida e vai ser o mas feliz de minha vida “aparece surfando”



fim


http://mpparnaiba.blogspot.com/